MG:(31) 3352-7000 / RJ:(21) 3629-3003

Vacinas
Imunológicas

Dengue

Indicação

Vacinação entre 9 e 45 anos de idade, em países endêmicos.

Composição

Vírus quiméricos febre amarela cultivados em células vero. Não contem adjuvantes ou conservantes. O liófilo contem aminoácidos essenciais, incluindo fenilalanina, aminoácidos não essenciais, cloridrato de arginina, sacarose, trealose di-hidratada, sorbitol, trometamol e ureia.

 

Eficácia

Para qualquer forma da doença, 58% para Dengue 1, 47% para Dengue 2, 74% para Dengue 3 e 83% para Dengue 4. Para formas graves de dengue cerca de 90% de proteção.

 

Fabricante

Sanofi Pasteur

 

Via de administração

Subcutânea.

 

Esquemas de aplicação

Três doses com intervalo de seis meses entre elas.

 

Eventos adversos

Foram associados, temporalmente, cefaleia, urticária, dor e hiperemia local nos primeiros três dias após aplicação. Febre após 14 dias de aplicação.

 

Contraindicações

Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoides oral ou parenteral por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe médica); quimioterapia e radioterapia nos últimos três meses; doenças autoimunes (consultar equipe médica), doenças do timo; mulheres amamentando.

Não há estudos de aplicação simultânea a outras vacinas. Não aplicar no mesmo dia que vacinas atenuadas injetáveis.

 

Conservação

Entre+2 e +8c. Inativada pela luz solar direta (não pela artificial).

Meningocócica B (recombinante, “Bexsero”)

INDICAÇÃO
Proteção para crianças acima de 2 meses de idade, adolescentes e adultos contra o meningococo do sorogrupo B.

 

COMPOSIÇÃO

Proteína de fusão NHBA recombinante, proteína nadD recombinante, proteína de fusão fHbp recombinante, vesículas de membrana interna (OMV), cepa NZ98/254 contendo PorA P1.4. As duas primeiras produzidas em cepas de E. coli recombinante.
Adsorvida em hidróxido de alumímio.
Excipientes: cloreto de sódio, histidina, sacarose e água para injetáveis.
A canamicina é utilizada no início do processo de fabricação e é removida durante as fases posteriores de fabricação. Se estiver presente, os níveis de canamicina na formulação final da vacina são menores que 0,01 microgramas por dose.

 

EFICÁCIA
Alta imunogenicidade. A eficácia poderá variar com a correspondência com os subtipos circulantes, atualmente estimada em cerca de 80% no Brasil.

 

VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular no vasto lateral da coxa ou deltoide.

 

ESQUEMA DE APLICAÇÃO

Início abaixo de 6 meses:
Três doses com intervalo de dois meses (mínimo um mês) e um reforço no segundo ano de vida. Sugestão: aplicar aos 3, 5 e 7 meses. Reforço aos 13 meses.
Início a partir dos 6 meses:
Duas doses com intervalo mínimo de dois meses. Um reforço no segundo ano de vida, mínimo de dois meses da segunda dose. Sugestão: aplicar aos sete e nove meses. Reforço aos 13 meses.
Início após 1 ano de idade:
Duas doses com intervalo mínimo de dois meses.
Início a partir dos 11 anos:
Duas doses com intervalo mínimo de um mês.

 

EVENTOS ADVERSOS
Podem ocorrer eritema e dor local, febre, irritabilidade e erupção cutânea. Diarreia, vômito, anorexia e Doença de Kawasaki foram associados temporalmente, mas sem comprovação de causa e efeito. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

 

CONTRAINDICAÇÕES
Reação alérgica intensa a dose anterior da vacina; doença febril aguda; gravidez (dependendo da situação epidemiológica pode ser indicada por médico). Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

 

CONSERVAÇÃO
Entre +2ºC e +8ºC. Não congelar..

Influenza inativada tetravalente (gripe)

INDICAÇÃO
Protege contra infecção pelos quatro tipos de vírus influenza contidos na vacina 9um tipo B a mais do que a trivalente. Indicada para pacientes maiores de 6 meses de idade (vacina Sanofi). A vacina GSK é indicada para maiores de 3 anos de idade.

 
COMPOSIÇÃO
Vírus cultivados em ovos embrionados, inativados e fracionados. É produzida anualmente com as cepas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde para o Hemisfério Sul. Contém traços de neomicina, dependendo do fabricante. Eficácia de 70% a 90%.

 
FABRICANTES
GlaxoSmithKline / Sanofi Pasteur.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular (preferencialmente) ou subcutânea.

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Apresentação infantil (0,25mL, Sanofi): 6 a 35 meses de idade: no primeiro ano de vacinação devem ser aplicadas duas doses com intervalos de 30 dias entre cada dose. Após primeiro ano de vacinação, somente uma dose por ano. Caso a criança tenha recebido apenas uma dose no primeiro ano, deve receber duas doses no segundo. A apresentação infantil pode ser substituída por metade da dose da apresentação adulto. Apresentação adulto (0,5mL): 6 a 35 meses meia dose, com as recomendações acima. 3 a 8 anos de idade: no primeiro ano de vacinação devem ser aplicadas duas doses com intervalos de 30 dias. Após primeiro ano de vacinação, uma dose por ano. Caso a criança tenha recebido apenas uma dose no primeiro ano, deve receber duas doses no ano atual. Acima de 8 anos uma dose desde o primeiro ano de vacinação.

 
EVENTOS ADVERSOS
Dor localizada, vermelhidão e inchaço no local. Podem ocorrer febre baixa e cansaço muscular. É rara a ocorrência de febre alta, já tendo sido registrada convulsão febril com relação temporal à aplicação da vacina.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Anafilaxia e outras alergias “graves” aos componentes da vacina (inclusive ovo); doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

 
CONSERVAÇÃO
Entre +2 e +8ºC. Não pode ser congelada..

Tríplice Acelular Pediátrica – DTPa e DTPa + IPV

INDICAÇÃO
DTPa: Proteção contra difteria, tétano e coqueluche para menores de sete anos de idade. DTPa-IPV: Vacinação de reforço contra difteria, tétano, coqueluche e poliomielite entre 5 e 13 anos de idade.

 
COMPOSIÇÃO
Três (GSK) ou dois antígenos purificados de pertussis (acelular); toxoides tetânico e diftérico inativados; e na DTPa- IPV três sorotipos do vírus da pólio inativados. O adjuvante é o hidróxido de alumínio.

 
FABRICANTE
DTPa: GlaxoSmithKline/Sanofi Pasteur. Recomenda-se que as três primeiras doses da vacina sejam do mesmo fabricante. DTPa-IPV: Sanofi Pasteur.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular.

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
DTPa: 2, 4, 6 e 15 meses de vida. Reforço entre 4 e 6 anos de idade. Manter reforço de 10/10 anos com dT (dupla tipo adulto) ou, idealmente, com dTpa (tríplice bacteriana acelular de reforço ou “adulto”). Entre a terceira dose e o primeiro reforço, deve-se respeitar intervalo de 6 meses . DTPa-IPV: Reforço a partir dos 5 anos até os 13 anos. Ideal quando há necessidade de um reforço da vacina tríplice bacteriana e um reforço contra a poliomielite.

 
EVENTOS ADVERSOS
Podem ocorrer febre baixa, dor, calor e edema local. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Raramente podem ocorrer irritabilidade, sonolência, convulsões febris (< 4 anos de idade), febre alta e evento hipotônico hiporresponsivo.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Doença febril aguda; história de reação grave após administração anterior de vacinas DTPa ou Poliomielite; encefalopatia por até 7 dias após vacinação com componente pertussis; Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas. Reações com a vacina de células inteiras (inclusive a Penta do serviço público) não contraindicam a vacinação com a vacina acelular, com exceção das reações graves..

Meningite Quadrivalente: A,C,W,Y

Meningite é o nome que se dá para a inflamação das meninges que são as membranas que recobrem o cérebro e a medula espinhal. A meningite é causada por vários tipos de microorganismos, entre os quais se destacam os vírus, as bactérias e os fungos. Entre as bactérias uma das mais importantes e das mais freqüentes é a Neisséria meningitides devido à gravidade dos quadros por ela determinados. Além da meningite podemos citar pneumonia, septicemia (infecção generalizada), artrite, etc. Existem vários tipos dessa bactéria sendo os mais importantes os tipos A, B e C sendo que as vacinas existentes são específicas para cada tipo.

A meningite é transmitida de uma pessoa para outra através da saliva ou secreções respiratórias e após um período de incubação de alguns dias se manifesta com febre , dor de cabeça, vômitos, prostração e as vezes manchas avermelhadas pelo corpo. As crianças pequenas são as mais susceptíveis e nelas os sinais da moléstia podem se manifestar apenas com febre, choro inexplicado, recusa alimentar, abaulamento da fontanela (moleira).

O índice de mortalidade é alto e quando o paciente se recupera poderá apresentar sequelas graves tais como surdez, cegueira, atraso mental e amputação de membros.

O importante é fazer a prevenção através do uso de vacinas e que, qualquer pessoa com sinais da doença seja imediatamente examinada por um médico, porque só ele poderá confirmar o diagnóstico da doença e tomar as providências necessárias.

  •  VACINA QUADRIVALENTE CONJUGADA: A, C, W, Y

INDICAÇÃO
Proteção proteção contra doença meningocócica, com risco de exposição aos sorogrupos A, C, W e Y, para prevenir doença invasiva. Vacina GSK licenciada a partir de um ano de idade; Novartis a partir dos dois anos.
COMPOSIÇÃO
Oligossacarídeos meningocócicos A, C, W e Y conjugados a proteína CRM197 de C.diphtheriae no caso da vacina Novartis ou toxóide tetânico na Vacina GSK. Não contem adjuvantes. Fosfato de potássio diidrogenado; Sacarose; Cloreto de sódio; Fosfato de sódio diidrogenado monoidratado, Fosfato dissódico hidrogenado diidratado.
FABRICANTE
Novartis, GSK.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular.
ESQUEMA DE APLICAÇÃO

Vacina GSK (“Menveo”, Licenciada a partir dos dois meses de idade)
Crianças < 6 meses
Três doses intervalo de 2 meses; 1º reforço após 1 ano; 2º reforço aos 5 anos; 3 reforço aos 11 anos.
Crianças entre 6 meses e 23 meses
Duas doses intervalo de 2 meses, sendo uma após um ano de idade; 1º reforço 5 anos após; 2º reforço 5 ano após 1º.
Crianças e adolescentes (após 2 anos)
Duas doses com intervalo de 5 anos.
Adultos
Quando indicado dose única.
Vacina Pfizer (“Nimenrix”, Licenciada a partir de um ano de idade)
Crianças (1 a 10 anos).
Uma dose após um ano, 2ª dose 5 anos após; 3ª dose 5 anos após 2ª.
Adolescentes não anteriormente vacinados:
Duas doses intervalo de 5 anos.
Adultos
Quando indicado dose única.
EVENTOS ADVERSOS
Pode ocorrer eritema, dor local, prurido, mal estar e febre.
CONTRAINDICAÇÕES
Hipersensibilidade a qualquer componente da vacina, incluindo toxóide diftérico, doença febril aguda, gravidez. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

HPV – Vacina Bivalente

Influenza inativada trivalente (gripe)

INDICAÇÃO 

Protege contra infecção pelos tipos de vírus influenza contidos na vacina. Indicada prioritariamente para adultos maiores de 50 anos; crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos de idade; pessoas de 2 a 50 anos de idade que tenham contato com idosos ou portadores de doenças cardíacas, pulmonares, diabetes, disfunção renal, hemoglobinopatias ou imunossupressão; trabalhadores da saúde; grávidas de qualquer idade gestacional e puéperas; indivíduos que queiram diminuir o risco de influenza (alguns países a indicam para toda a população); viajantes para áreas de alta incidência. Intradérmica (Sanofi Pasteur, IDFLU): Vacina Trivalente. Indicada a partir de 18 anos de idade (de 18 a 59 anos e 11 meses).

 

COMPOSIÇÃO
Vírus cultivados em ovos embrionados, inativados e fracionados. É produzida anualmente com as cepas dos vírus recomendadas pela Organização Mundial de Saúde para o Hemisfério Sul. Contém traços de neomicina, dependendo
do fabricante. Eficácia de 70% a 90%.

 
FABRICANTES
GlaxoSmithKline / Sanofi Pasteur/CSL / Solvay / Cristália / Novartis.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular (preferencialmente) ou subcutânea. Intradérmica (apenas a vacina IDFLU®).

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Apresentação infantil (0,25mL): 6 a 35 meses de idade: no primeiro ano de vacinação devem ser aplicadas duas doses com intervalos de 30 dias entre cada dose. Após primeiro ano de vacinação, somente uma dose por ano. Caso a criança tenha recebido apenas uma dose no primeiro ano, deve receber duas doses no segundo. A apresentação infantil pode ser substituída por metade da dose da apresentação adulto. Apresentação adulto (0,5mL): 6 a 35 meses meia dose, com as recomendações acima. 3 a 8 anos de idade: no primeiro ano de vacinação devem ser aplicadas duas doses com intervalos de 30 dias. Após primeiro ano de vacinação, uma dose por ano. Caso a criança tenha recebido apenas uma dose no primeiro ano, deve receber duas doses no ano atual. Intradérmica: seringa preenchida contendo 0,1ml. Esquema de aplicação: Dose única anual, entre 18 e 59 anos.

 

EVENTOS ADVERSOS
Dor localizada, vermelhidão e inchaço no local. Podem ocorrer febre baixa e cansaço muscular. É rara a ocorrência de febre alta, já tendo sido registrada convulsão febril com relação temporal à aplicação da vacina.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Anafilaxia e outras alergias “graves” aos componentes da vacina (inclusive ovo); doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

 

CONSERVAÇÃO
Entre +2 e +8ºC. Não pode ser congelada..

BCG

INDICAÇÃO

BCG é a vacina para a prevenção das formas graves da tuberculose,  principalmente nos primeiros cinco anos de vida.

 

COMPOSIÇÃO:

Bacilos atenuados do Mycobacterium bovis; glutamato de sódio.

 

FABRICANTE:

Fundação Ataulpho de Paiva

 

VIA DE ADMINISTRAÇÃO:

Intradérmica, no braço direito, na inserção do músculo deltoide.

 

ESQUEMA DE APLICAÇÃO:

A partir do nascimento, em dose única. O Ministério da Saúde do Brasil não recomenda vacinação acima de 5 anos de idade. Não se aplica segunda dose, salvo em contatos de hanseníase. Menor de cinco anos de idade que recebeu BCG há mais de 6 meses e não tem cicatriz vacinal deve ser revacinado. Evolução da cicatriz vacinal: 2 semanas, pequena elevação avermelhada e dolorosa de 5 a 15mm; 3-4 semanas, pequena bolha com pus, evoluindo à crosta; 4-5 semanas, úlcera de 4 a 10mm de diâmetro; 6-12 semanas, cicatriz de 4 a 7mm.

 

REAÇÕES

A reação local à vacina intradérmica é a formação de uma pápula no local de injeção, que progride em tamanho até seis semanas após a inoculação. Uma pequena crosta pode se formar sobre a lesão, que de tempos em tempos pode se desprender, formando uma pequena úlcera, de onde pode drenar uma secreção purulenta, às vezes em grande quantidade. Esta úlcera deve cicatrizar ao redor da décima semana, restando uma cicatriz circular.

 

É aplicada uma dose na criança a partir do nascimento o mais precocemente possível, de preferência no berçário.

 .

Hepatite A

INDICAÇÃO
Proteção contra Hepatite A. Vacina combinada Hepatite A e B também está disponível

 

COMPOSIÇÃO

Vírus cultivados em células diplóides humanas e inativados em formaldeído. Contém alumínio. Eficácia de 95% a 100%. Fabricantes GSK/Sanofi Pasteur/MSD

 

VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular.

 

ESQUEMA DE VACINAÇÃO
Vacina hepatite A GlaxoSmithKline e MSD – Apresentação infantil: 0,5mL de suspensão. De 1 a 18 anos de idade: duas doses com intervalos de 6 meses. Apresentação adulta: 1,0mL de suspensão. A partir 19 anos de idade: duas doses com intervalos de 6 meses. Vacina hepatite A Sanofi Pasteur – Apresentação infantil: 0,5mL de suspensão. 1 a 15 anos de idade: duas doses com intervalos de 6 meses. Apresentação adulta: 0,5mL de suspensão. A partir 15 anos de idade: duas doses com intervalos de 6 meses. Contem neomicina. Obs.: a intercambialidade entre os fabricantes é permitida.
O PNI faz dose única aos 12 meses, até 23 meses e 29 dias de idade.

 

EVENTOS ADVERSOS
Foram associados, temporalmente, mal estar, vômitos, náuseas, perda de apetite, neuropatia e eritema multiforme. Febre, dor, vermelhidão e inchaço local, podem ocorrer. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

 

CONTRAINDICAÇÕES
Anafilaxia aos componentes da vacina; doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

Hepatite B

INDICAÇÃO
Proteção contra hepatite B e, consequentemente, hepatite D. Vacina combinada contra hepatites A e B também está disponível.

 

COMPOSIÇÃO
Vacina consiste de subunidades do vírus da hepatite B (HBsAg) produzidas em células de fungo (S. cerevisiae) por recombinação genética. Contém alumínio. Eficácia aproximada de 95%.

 

FABRICANTES
GlaxoSmithKline / MSD

 

VIA DE ADMINSITRAÇÃO
Intramuscular.

 

ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Três doses (0, 30 e 180 dias). A 1ª dose deve ser aplicada no recém-nascido nas primeiras 12 horas de vida. Na criança, a última dose não deve ser aplicada antes dos 6 meses de vida. Apresentação
Infantil: 0,5mL de suspensão, de 0 a 19 anos de idade. Adulto: 1,0mL de suspensão, a partir de 20 anos de idade. Esquemas em atrasos Devem-se avaliar as datas das doses anteriores e observar intervalos mínimos entre as doses: – Entre 1ª e 2ª dose: 30 dias/ 1mês – Entre 1ª e 3ª dose: 180 dias/ 6 meses. Se já passaram 6 meses entre a 1ª e 2ª dose, o intervalo entre 2ª e 3ª dose será de 60 dias/ 2 meses. Para pacientes renais crônicos e imunocomprometidos aplicar esquema de 4 doses (0, 1, 2, 6 meses) com dosagem dobrada para a idade. Intercambiabilidade entre fabricantes das vacinas para Hepatite B é permitida. Caso a primeira dose tenha sido aplicada em menores de 2Kg de peso (no primeiro mês de vida), aplica-se obrigatoriamente uma quarta dose.

 

OBSERVAÇÃO
A dosagem de anti-HBs (> 10mUI/mL) permite avaliação da imunidade e deve ser realizada 30 a 60 dias após a terceira dose. Dosagens posteriores podem resultar falso-negativas.

 

EVENTOS ADVERSOS
Dor, vermelhidão, formação de nódulo e inchaço local. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Fadiga, febre baixa, náuseas e cefaleia podem ocorrer, mas em geral trata-se de coincidência temporal.

 

CONTRAINDICAÇÕES
Alergia grave ao S. cerevisiae ou ao alumínio; doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

Herpes-Zóster

O QUE É

O herpes-zóster, popularmente conhecido como cobreiro, é causado
pelo mesmo vírus da catapora. Após desenvolver catapora, o que
normalmente acontece na infância, o vírus permanece adormecido no sistema nervoso ao longo da medula espinhal do indivíduo.

Quando há queda da imunidade, pode ocorrer a reativação do vírus e o desenvolvimento de herpes-zóster. ¹,²

 

SINTOMAS:

O principal sintoma em adultos é a dor intensa na extensão do nervo da medula espinhal até a pele, que pode permanecer mesmo após a cura das lesões da pele. É a chamada neuralgia pós herpética.
Na maioria das vezes, essa neuralgia se resolve nos primeiros 3 meses, mas em alguns casos pode persistir por anos.

 

INDICAÇÃO
Proteção do herpes-zoster e suas complicações em maiores de 50 anos de idade.

 

COMPOSIÇÃO

Vacina de vírus vivos atenuados, Cepa OKA/Merck, 19400 UFP. Contém traços de neomicina.

 

EFICÁCIA

Varia com a idade; média de cerca de 60%. Ainda mais eficaz contra complicações, especialmente neuralgia pós-herpética.

 

FABRICANTE
MSD.

 

VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Subcutânea

 

ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Aplicada a partir de 50 anos de idade, em dose única.

 

EVENTOS ADVERSOS 

Podem ocorrer dor, vermelhidão e inchaço no local da aplicação. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Após 5 a 7 dias, podem ocorrer: febre baixa, por 2 a 3 dias, e manchas vermelhas. Pouco comumente os vacinados podem apresentar algumas vesículas, principalmente próximas ao local de aplicação.

 

CONTRAINDICAÇÕES
Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoide por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe técnica), quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer vacina. Caso não sejam aplicadas no mesmo dia, intervalar 30 dias da vacina febre amarela e tríplice viral.  No caso do paciente já ter tido herpes-zoster aguardar um ano para aplicação (seis meses se recomendação médica).

 

Clique aqui e baixe o informativo sobre a doença: Folheto Paciente Zoster

 

Mais informações: www.entendaozoster.com.br

 .

Tetra Viral

  • Vacina contra o Sarampo, Caxumba, Rubéola, Varicela(Catapora)

INDICAÇÃO
Proteção contra rubéola, sarampo, caxumba e varicela. De 12 meses de idade até 12 anos (não usar após 13 anos completos).

 
COMPOSIÇÃO
Cepas de vírus atenuados da rubéola, sarampo, caxumba e varicela. Contem traços de neomicina.

 
EFICÁCIA
95% para sarampo e rubéola e inferior para a caxumba; para a varicela de 85%, para todas as formas, e de 95%, para formas graves, com uma dose.

 
FABRICANTE
GlaxoSmithKline.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Subcutânea

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Aplicada a partir de 12 meses de idade. Recomenda-se uma 2ª dose da vacina varicela após com intervalo mínimo 3 meses entre as doses. Nas crianças em que for aplicada a 1ª dose com mais de 2 anos de idade a segunda dose deve ser administrada 3 meses após a 1ª dose. Até 5 dias após contato com portador do vírus da varicela a vacina pode evitar a doença ou, mais provavelmente, torná-la mais benigna. O mesmo acontece com contato com sarampo, até 3 dias.

 
EVENTOS ADVERSOS
Causa mais febre do que as vacinas isoladas, consequente elevando o risco de convulsão febril quando primeira dose. Em geral, entre 3 e 12 dias após a vacinação, podem ocorrer dor e edema local, febre, manchas vermelhas no corpo, edema, vermelhidão e calor nas articulações. Raramente: encefalite, pancreatite, orquite, púrpura e parotidite. Cerca de 3% dos vacinados podem apresentar algumas vesículas, principalmente próximas ao local da aplicação.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Anafilaxia aos componentes da vacina (inclusive neomicina e gelatina); gestação; imunodeprimidos; uso de corticosteroides por vias oral ou parenteral por mais de duas semanas em doses correspondentes a 2 mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona; doenças febris agudas; pessoas submetidas a tratamento com derivados de sangue (consultar equipe técnica); quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Após transplante de medula óssea deve-se aguardar 2 anos para aplicação de vacina. Deve-se evitar gestação por 30 dias e uso de acido acetilsalicílico (AAS) por 6 semanas após vacinação. História clinica de sarampo, caxumba ou rubéola não é contraindicação a vacina. A vacinação no mesmo dia com a vacina febre amarela deve ser evitada, intervalando-se 30 dias de uma vacinação para outra. Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer outra vacina.

 

No SUS é utilizada em dose única aos 15 meses.

Rotavírus Pentavalente

VACINA PENTAVALENTE CONTRA O ROTAVÍRUS – G1, G2, G3, G4 e P1A

 

INDICAÇÃO
Indicada para prevenção de formas graves de diarréia causadas por rotavírus em lactentes (ver limites de idade).

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Oral, vagarosamente.

 
FABRICANTE
MSD.

 
COMPOSIÇÃO
Vacina pentavalente de vírus atenuados derivados de cepa bovina com modificação genética expressando G1, G2, G3, G4 e P1A. Contem sacarose, citrato de sódio, fosfato de sódio monobásico monoidratado, hidróxido de sódio, polissorbato 80, meios de cultura e traços de soro fetal bovino.

 
EFICÁCIA
Para gastroenterite grave por rotavírus já demonstrada contra os genótipos G1,G2,G3,G4,G9 e P1A, em média de 90%.

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Três doses com intervalo de dois meses (desejável), podendo ser aplicada com no mínimo 30 dias entre as doses.

 
EVENTOS ADVERSOS
Foram relatados irritabilidade, perda de apetite, diarréia, vômitos, flatulência, dor abdominal, regurgitação de alimentos, febre branda, e fadiga. Não houve ocorrência de eventos adversos quando comparada a placebo.

 

 

CONTRAINDICAÇÕES
Hipersensibilidade conhecida à administração prévia da vacina ou a qualquer componente da vacina. Crianças com doenças intestinais crônicas, incluindo malformação congênita do trato gastrointestinal, e crianças com conhecida imunodeficiência primária ou secundária.

 
OBSERVAÇÃO
O ideal é não intercambiar com a vacina rotavírus GSK. Caso isso ocorra, fazer esquema de três doses, sendo duas MSD..

Meningocócica C

Meningite é o nome que se dá para a inflamação das meninges que são as membranas que recobrem o cérebro e a medula espinhal. A meningite é causada por vários tipos de microorganismos, entre os quais se destacam os vírus, as bactérias e os fungos. Entre as bactérias uma das mais importantes e das mais frequentes é a Neisséria meningitides devido à gravidade dos quadros por ela determinados. Além da meningite podemos citar pneumonia, septicemia (infecção generalizada), artrite, etc. Existem vários tipos dessa bactéria sendo os mais importantes os tipos A, B e C sendo que as vacinas existentes são específicas para cada tipo.

A meningite é transmitida de uma pessoa para outra através da saliva ou secreções respiratórias e após um período de incubação de alguns dias se manifesta com febre , dor de cabeça, vômitos, prostração e as vezes manchas avermelhadas pelo corpo. As crianças pequenas são as mais susceptíveis e nelas os sinais da moléstia podem se manifestar apenas com febre, choro inexplicado, recusa alimentar, abaulamento da fontanela (moleira).

O índice de mortalidade é alto e quando o paciente se recupera poderá apresentar sequelas graves tais como surdez, cegueira, atraso mental e amputação de membros.

O importante é fazer a prevenção através do uso de vacinas e que, qualquer pessoa com sinais da doença seja imediatamente examinada por um médico, porque só ele poderá confirmar o diagnóstico da doença e tomar as providências necessárias.

 

  • VACINA MENINGOCÓCICA CONJUGADA C:

 

INDICAÇÃO
Proteção para crianças acima de 2 meses de idade, adolescentes e adultos contra o meningococo do sorogrupo C.

 
COMPOSIÇÃO
Polissacarídeos capsulares do meningococo C conjugados à toxina diftérica modificada (Pfizer e Novartis) ou ao toxoide tetânico (Baxter) . Contém Alumínio.

 
EFICÁCIA
Aproxima-se de 92%.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular no vasto lateral da coxa.

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Vacina indicada de rotina em duas doses a partir dos 2 meses de idade (geralmente feita aos 3 e 5 meses de idade). Reforço após um ano de idade (ideal com Quadrivalente). Intervalo mínimo de um mês para as primeiras duas doses e de dois meses para o reforço. Vacinação iniciada entre 10 e 11 meses, duas doses sem reforço. Maiores de 12 meses de idade: uma dose (ideal Quadrivalente). Atualmente recomenda-se nova dose cerca de cinco anos após esses esquemas, inclusive para adolescentes. Para adultos ainda não há recomendação de reforço.

 
EVENTOS ADVERSOS
Podem ocorrer eritema e dor local, febre, irritabilidade. Diarreia, vômitos e anorexia foram associados temporalmente, mas sem comprovação de causa e efeito. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Reação alérgica intensa a dose anterior da vacina; doença febril aguda; gravidez (dependendo da situação epidemiológica pode ser indicada por médico). Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

Hexavalente e Pentavalente

HPV – Vacina Quadrivalente

A DOENÇA:

O HPV, Papilomavírus humano, é um vírus que acomete a pele e as mucosas oral, anal ou genital ( vulva, vagina, colo de útero, pênis ) e se manifesta sob a forma de verrugas ou de lesões planas que não são perceptíveis ao olho nu.

Trata-se de uma infecção adquirida através de contato sexual ou através do canal do parto em recém-nascidos de mães acometidas.

Existem vários tipos de papilomavírus humanos sendo que alguns deles podem provocar câncer de colo do útero e outros provocar verrugas genitais, anais ou orais vulgarmente conhecidas como “crista de galo”.

O diagnóstico é feito através do exame de Papanicolau ou colposcopia e o diagnóstico de certeza é feito através de biópsia da área suspeita.
Existem também exames que identificam o tipo do vírus e se os mesmos são cancerígenos.

O tratamento do HPV é por destruição química ou física das lesões, sempre indicado e realizado por médico especialista

 

Vacina Quadrivalente contra o Papilomavírus Humano:

 

INDICAÇÃO
Indicada para mulheres entre 9 e 45 e homens entre 9 e 26 anos de idade. No caso de mulheres e homens de idade maior acata-se e retém-se a prescrição médica. Oferece proteção contra cânceres do colo do útero, vulva, vagina e ânus causados pelos tipos 16 e 18 do HPV. Protege de verrugas anogenitais causadas por tipos 6 e 11 (90%). Proteção cruzada para outros HPVs.

 

COMPOSIÇÃO
Subunidades dos tipos de HPV 6, 11, 16 e 18, produzidas em culturas de S. cerevisiae, por recombinação genética. Contém adjuvante hidroxidofosfato de alumínio. Proteção em torno de 100% para os tipos contidos na vacina.

 

FABRICANTE
MSD.
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular profunda na região do deltoide.
ESQUEMA VACINAL
Três doses (0, 60, 180 dias).

No SUS utiliza-se o esquema 0, 6 meses e cinco anos.

 

EVENTOS ADVERSOS
Dor, vermelhidão e inchaço no local de aplicação. Foram associados, temporalmente, febre, desmaio e vômitos. Como em toda vacina, há possibilidades de reações alérgicas imediatas mais graves, mas o risco conhecido é pequeno. Vacina de reatogenicidade comparável com a vacina contra a hepatite B.
CONTRAINDICAÇÕES
Menores de 9 anos de idade. Pessoas que tenham apresentado reação grave com dose anterior desta vacina. Gestantes. Doença febril aguda.
OBSERVAÇÕES
Pode ser aplicada no mesmo dia com outras vacinas. A vacina não possui efeito terapêutico.

 

  • IMPORTANTE: A VACINAÇÃO NÃO DIMINUI A NECESSIDADE DOS EXAMES GINECOLÓGICOS PERIÓDICOS (PAPANICOLAU/CITOLOGIA).

.

Hepatites (Combinada A+B)

INDICAÇÃO
Proteção contra hepatites A e B, prevenindo consequentemente a hepatite D.

 
COMPOSIÇÃO
Vírus da hepatite A cultivados em células diploides humanas, inativados em formaldeído e combinados ao HBsAg produzido por células de leveduras. Contém alumínio e neomicina. Eficácia superior a 95%.

 
FABRICANTE
GlaxoSmithKline.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular. Não aplicar na região glútea.

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
1,0mL de suspensão contém 20mcg de HBsAg e 720 U.EL VHA. – 1 a 15 anos de idade: 2 doses (0 e 6 meses) – A partir 16 anos de idade: 3 doses (0, 1, 6 meses) – Para viajantes pode-se fazer o esquema 0, 7 e 21 dias. Fazer 4ª dose 6 meses após.

 
EVENTOS ADVERSOS
Foram associados, temporalmente, mal estar, vômitos, náuseas, perda do apetite, neuropatia e eritema multiforme. Febre, dor, vermelhidão e inchaço local podem ocorrer. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Alergia grave aos componentes da vacina; doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer.

Febre Tifóide

INDICAÇÃO
Proteção contra febre tifóide para viajantes a áreas de risco e algumas atividades profissionais.

 

COMPOSIÇÃO

Composição Polissacarídeo capsular Vi purificado de Salmonella typhi (cepa Ty2), fenol, cloreto de sódio, fosfato dissódico diidratado, fosfato monossódico e água para injeção

 

FABRICANTE

Sanofi Pasteur

 

VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular. Utilizar via subcutânea para portadores de distúrbios da coagulação.

 
ESQUEMA DE VACINAÇÃO
Aplicada a partir de 2 anos de idade em dose única. Pode ser feita revacinação após 3 anos, se a indicação persistir.

 

EVENTOS ADVERSOS

Principalmente locais (dor, edema, hiperemia). Eventos sistêmicos e alérgicos são raros. Contraindicações Menores de 2 anos de idade. Reação alérgica grave anterior com algum componente da vacina.

Febre Amarela

INDICAÇÃO


Proteção contra febre amarela para residentes em áreas de risco (inclui Minas Gerais) e viajantes. A partir de 6 meses de idade, 9 meses fora de epidemias.

 

COMPOSIÇÃO


Vacina de vírus vivo atenuado Cepa 17D-204. Imunogenicidade superior a 95%. A proteção se inicia de sete a dez dias após a vacinação.

 

FABRICANTE
Sanofi Pasteur

 

VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Subcutânea.

 

ESQUEMA DE VACINAÇÃO
Aplicada a partir de 9 meses de idade em períodos não epidêmicos, embora seja mais imunogênica a partir de um ano de idade. O PNI recomenda 2ª dose a partir dos quatro anos de idade se a primeira dose foi feita antes dos cinco anos de idade. Caso a primeira dose seja feita após os cinco anos a segunda é indicada 10 anos após. Todo paciente com duas ou mais dose deve ser considerado vacinado. Não é mais recomendada vacinação de 10 em 10 anos.

 
EVENTOS ADVERSOS
Cerca de 5% dos vacinados apresentam quadro de febre e dor no corpo, geralmente iniciando-se no quarto dia após a vacinação. Reações fatais já ocorreram, simulando a doença. Encefalite pelo vírus vacinal é rara após 1 ano de idade.

 

CONTRAINDICAÇÕES

Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoides oral ou parenteral por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe médica); quimioterapia e radioterapia nos últimos três meses; alergia grave a ovo; doenças autoimunes (consultar equipe médica), doenças do timo; mulheres amamentando crianças menores de seis meses de idade. Dependendo da situação epidemiológica, é aplicada em gestantes e HIV positivos sem imunodeficiência, com autorização das autoridades de vigilância epidemiológica..

Varicela ou Catapora

INDICAÇÃO
Protege contra a “catapora” (causada pelo vírus da varicela-zoster).

 
COMPOSIÇÃO
Vacina de vírus vivos atenuados, Cepa OKA. Contém traços de neomicina, kanamicina ou eritromicina, dependendo do fabricante.

 
EFICÁCIA
82% a 95% com uma dose.

 
FABRICANTES
GlaxoSmithKline/ MSD /SanofiPasteur.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Subcutânea

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Aplicada a partir de 12 meses de idade. Recomenda-se uma 2ª dose após intervalo mínimo 3 meses entre as doses. Em crianças de 9 a 12 meses de idade pode ser aplicada sob orientação médica. Nesse caso, as duas doses preconizadas após um ano de idade devem ser aplicadas como descrito acima. Nas crianças em que for aplicada a 1ª dose com mais de 2 anos de idade a segunda dose deve ser administrada 3 meses após a 1ª dose. A partir de 13 anos de idade são aplicadas duas doses com intervalo mínimo de um mês. Até 5 dias após contato com portador do vírus a vacina pode evitar a doença ou, mais provavelmente, torna-la mais benigna.

 
EVENTOS ADVERSOS
Dor, vermelhidão e inchaço no local são raros. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Após 5 a 7 dias, podem ocorrer: febre baixa, por 2 a 3 dias, e manchas vermelhas (2% dos casos). Cerca de 3% dos vacinados podem apresentar algumas vesículas, principalmente próximas ao local de aplicação.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoide por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe técnica), quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Deve-se evitar gestação por 30 dias e uso de ácido acetilsalicílico (AAS) por 6 semanas após a vacinação. Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer vacina. Caso não sejam aplicadas no mesmo dia, intervalar 30 dias da vacina febre amarela e tríplice viral. Se o médico prescrever com intervalo maior que 15 dias, acatar. Intervalo inferior a 15 dias, não fazer ou consultar equipe médica em caso de uso pós-contato..

Tríplice Viral – Sarampo, Caxumba e Rubéola

SARAMPO – CAXUMBA – RUBÉOLA

INDICAÇÃO
Proteção contra rubéola, sarampo e caxumba em qualquer idade.

 
COMPOSIÇÃO
Cepas de vírus atenuados da rubéola, sarampo e caxumba. Contém traços de neomicina e gelatina.

 
EFICÁCIA
Cerca de 95% para sarampo e rubéola e inferior para a caxumba.

 
FABRICANTES
GlaxoSmithKline e MSD.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Subcutânea.

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Aplicada a partir de 12 meses de idade; uma segunda dose deve ser aplicada aos 15 meses de idade. Intervalo mínimo de um mês. Adultos, em viagem para o exterior, sem registro de vacinação, devem ser vacinados.

 
EVENTOS ADVERSOS
Em geral, entre 3 e 12 dias após a vacinação, podem ocorrer dor e edema locais, febre, manchas vermelhas, edema, vermelhidão e calor nas articulações. Raramente: encefalite, pancreatite, orquite, púrpura e parotidite.

 

CONTRAINDICAÇÕES
Anafilaxia aos componentes da vacina (inclusive neomicina e gelatina); gestação; imunodeprimidos; uso de corticosteroides por via oral ou parenteral, por mais de duas semanas em doses correspondentes a 2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona; doenças febris agudas; pessoas submetidas a tratamento com derivados do sangue (consultar equipe técnica), quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Após transplante de medula óssea deve-se aguardar de 1 a 2 anos para aplicação da vacina. É recomendado evitar-se gestação por 30 dias após a aplicação. História clínica de sarampo, caxumba ou rubéola não é contraindicação à vacina. A vacinação no mesmo dia com a vacina contra a febre amarela deve ser evitada em crianças, intervalando no mínimo 30 dias. Se não for aplicada no mesmo dia que a vacina contra Varicela, deve se respeitar 30 dias de intervalo entre as mesmas (com recomendação médica se aceita o intervalo de 15 dias). Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer outra vacina.

Pneumocócica 23

INDICAÇÃO

Proteção contra infecções invasivas pelo pneumococo para maiores de 2 anos de idade com comorbidade. Para menores de 2 anos de idade, vide Vacina Conjugada Pneumocócica.

 

COMPOSIÇÃO
Polissacarídeos purificados, não conjugados, de 23 sorotipos de pneumococos. Contém fenol e timerosal. Não contém adjuvante.

 
EFICÁCIA
60% a 77%.

 
FABRICANTES
Sanofi Pasteur e MSD.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Subcutânea ou intramuscular (ideal). Dose: 0,5 ml.

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Dose única em maiores de 2 anos de idade. Aplicar uma segunda dose, 5 anos após a primeira. Caso o maior de 60 anos tenha feito as duas doses quando adulto admite-se uma terceira dose. Para crianças e adultos menores de 60 anos sadios sempre solicitar prescrição médica. Em caso de esplenectomia programada, deve ser aplicada duas semanas antes da cirurgia. Nunca se aplica nova dose com intervalo inferior a três anos. Entre a Pneumo 13 conjugada a 23 polissacarídica, respeitar intervalo de dois meses. Entre a Pneumo 23 polissacarídica e a 13 conjugada, respeitar intervalo de um ano.

 

Indicação
Adultos com idade maior ou igual a 60 anos; pessoas entre 2 e 60 anos portadoras de doenças crônicas (cardiopatas, DPOC, hepatopatias, diabéticos); etilistas; portadores de fístulas liquóricas; esplenectomizados; asplenia funcional; hemoglobinopatias; HIV positivos; síndrome nefrótica; leucemias; linfomas; neoplasias malignas; e imunodepressão, incluindo usuários de corticoides.

 
EVENTOS ADVERSOS
Calor, inchaço, eritema e dor local, febre e mialgia. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Efeitos adversos locais são mais comuns e intensos na revacinação.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Anafilaxia à dose anterior ou ao timerosal; menores de 2 anos de idade; intervalo menor que três anos da dose anterior (exceto transplantados de medula óssea); doença febril; gravidez. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

Pneumocócica 13

INDICAÇÃO
Crianças e adolescentes a partir de 2 meses de idade até 17 anos de idade; para proteção contra formas graves da infecção pneumocócica. Pacientes especiais acima desta idade. Em adultos sadios maiores do que 50 anos. Pacientes especiais entre 18 e 50 anos (apenas com retenção da prescrição médica).

 
COMPOSIÇÃO
Polissacarídeos dos sorotipos 1, 3, 4, 5, 6A , 6B, 7, 9V, 14, 18C, 19A 19F,23F; conjugados ao CRM197 (proteína diftérica). Contem látex e alumínio. Eficácia de 92% a 99% para os tipos incluídos na vacina.

 
FABRICANTE
Pfizer

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO

De acordo com a idade de início de vacinação

  • Início de vacinação abaixo de 7 meses: 4 doses, as 3 primeiras doses com intervalo de 2 meses (mínimo 1 mês) e a última dose na idade de 15 meses (pode ser aplicada a partir de 12 meses, desde que tenha 2 meses de intervalo da última dose).
  • Início de vacinação entre 7 e 11 meses de idade: 03 doses, as duas primeiras com intervalo de 02 meses e a última na idade de 15 meses (pode ser aplicada a partir de 12 meses, desde que tenha 02 meses de intervalo da última dose).
  • Início de vacinação de 12 a 23 meses de idade: 02 doses com intervalo de 02 meses.
  • Início de vacinação acima de 24 meses: dose única.

OBS: Crianças previamente vacinadas com outras vacinas conjugadas (Prevenar 7 ou Pneumocócica 10- valente), devem receber uma dose suplementar de Pneumo 13-valente até os 6 anos de idade.

  • Crianças que iniciaram esquema com Prevenar 7 /Pneumo 10-valente podem continuar o esquema com a Pneumo 13-valente.
  • Adultos sadios maiores de 50 anos de idade.

Uma dose de Pneumo 13 e uma de Pneumo 23 dois meses após. Segunda dose Pneumo 23 cinco anos após. Entre a Pneumo 13 conjugada e a 23 polissacarídica, respeitar intervalo de dois meses. Entre a Pneumo 23 polissacarídica e a 13 conjugada, respeitar intervalo de um ano. A ACIP recomenda uma dose acima de 65 anos se as duas foram aplicadas antes dessa idade.

 

EVENTOS ADVERSOS
Pode ocorrer febre, calor e inchaço no local da aplicação. Teoricamente, pode estar associada à convulsão febril. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

 
CONTRAINDICAÇÃO
Anafilaxia aos componentes da vacina (inclusive ao látex e proteína diftérica); doença febril aguda. Pode ser aplicada
simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

Tríplice Acelular Adulto – dTpa e dTpa + IPV

DIFTERIA, TÉTANO, COQUELUCHE ACELULAR E POLIOMELITE.

Também conhecida como tríplice bacteriana apresenta associação dos toxoides tetânico e diftérico e de células mortas e inteiras de Bordetella pertussis. Esta vacina está entre as melhores no que se refere à proteção.

 

INDICAÇÃO.
Utilizadas para reforço a partir dos quatro anos de idade. Podem ser utilizadas para reforços em caso de ferimentos. Em caso de vacinação primária, apenas como uma das doses do esquema. Recomendada na gestação, após as 20 semanas de gestação, idealmente entre 28 e 36 semanas, também sempre em dose única. No Reino Unido a vacina aplicada em gestantes é a dTpaIPV, no Brasil a dTpa.

 
FABRICANTES
GlaxoSmithKline/Sanofi Pasteur.

 
VIA DE ADMINISTRAÇÃO
Intramuscular.

 
ESQUEMA DE APLICAÇÃO
Sempre dose única, seja como reforço ou fazendo parte de esquema primário.

 
EVENTOS ADVERSOS
Podem ocorrer febre baixa, dor, calor e edema local. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Raramente podem ocorrer irritabilidade, sonolência, e febre alta.

 
CONTRAINDICAÇÕES
Doença febril aguda; história de reação grave após administração anterior de vacinas DTPa ou Poliomielite; encefalopatia por até 7 dias após vacinação com componente pertussis; Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas. Reações com a vacina de células inteiras (inclusive a Penta do serviço público) não contraindicam a vacinação com a vacina acelular, com exceção das reações alérgicas graves..

  • Dengue
  • Indicação

    Vacinação entre 9 e 45 anos de idade, em países endêmicos.

    Composição

    Vírus quiméricos febre amarela cultivados em células vero. Não contem adjuvantes ou conservantes. O liófilo contem aminoácidos essenciais, incluindo fenilalanina, aminoácidos não essenciais, cloridrato de arginina, sacarose, trealose di-hidratada, sorbitol, trometamol e ureia.

     

    Eficácia

    Para qualquer forma da doença, 58% para Dengue 1, 47% para Dengue 2, 74% para Dengue 3 e 83% para Dengue 4. Para formas graves de dengue cerca de 90% de proteção.

     

    Fabricante

    Sanofi Pasteur

     

    Via de administração

    Subcutânea.

     

    Esquemas de aplicação

    Três doses com intervalo de seis meses entre elas.

     

    Eventos adversos

    Foram associados, temporalmente, cefaleia, urticária, dor e hiperemia local nos primeiros três dias após aplicação. Febre após 14 dias de aplicação.

     

    Contraindicações

    Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoides oral ou parenteral por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe médica); quimioterapia e radioterapia nos últimos três meses; doenças autoimunes (consultar equipe médica), doenças do timo; mulheres amamentando.

    Não há estudos de aplicação simultânea a outras vacinas. Não aplicar no mesmo dia que vacinas atenuadas injetáveis.

     

    Conservação

    Entre+2 e +8c. Inativada pela luz solar direta (não pela artificial).

  • Meningocócica B (recombinante, “Bexsero”)
  • INDICAÇÃO
    Proteção para crianças acima de 2 meses de idade, adolescentes e adultos contra o meningococo do sorogrupo B.

     

    COMPOSIÇÃO

    Proteína de fusão NHBA recombinante, proteína nadD recombinante, proteína de fusão fHbp recombinante, vesículas de membrana interna (OMV), cepa NZ98/254 contendo PorA P1.4. As duas primeiras produzidas em cepas de E. coli recombinante.
    Adsorvida em hidróxido de alumímio.
    Excipientes: cloreto de sódio, histidina, sacarose e água para injetáveis.
    A canamicina é utilizada no início do processo de fabricação e é removida durante as fases posteriores de fabricação. Se estiver presente, os níveis de canamicina na formulação final da vacina são menores que 0,01 microgramas por dose.

     

    EFICÁCIA
    Alta imunogenicidade. A eficácia poderá variar com a correspondência com os subtipos circulantes, atualmente estimada em cerca de 80% no Brasil.

     

    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular no vasto lateral da coxa ou deltoide.

     

    ESQUEMA DE APLICAÇÃO

    Início abaixo de 6 meses:
    Três doses com intervalo de dois meses (mínimo um mês) e um reforço no segundo ano de vida. Sugestão: aplicar aos 3, 5 e 7 meses. Reforço aos 13 meses.
    Início a partir dos 6 meses:
    Duas doses com intervalo mínimo de dois meses. Um reforço no segundo ano de vida, mínimo de dois meses da segunda dose. Sugestão: aplicar aos sete e nove meses. Reforço aos 13 meses.
    Início após 1 ano de idade:
    Duas doses com intervalo mínimo de dois meses.
    Início a partir dos 11 anos:
    Duas doses com intervalo mínimo de um mês.

     

    EVENTOS ADVERSOS
    Podem ocorrer eritema e dor local, febre, irritabilidade e erupção cutânea. Diarreia, vômito, anorexia e Doença de Kawasaki foram associados temporalmente, mas sem comprovação de causa e efeito. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

     

    CONTRAINDICAÇÕES
    Reação alérgica intensa a dose anterior da vacina; doença febril aguda; gravidez (dependendo da situação epidemiológica pode ser indicada por médico). Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

     

    CONSERVAÇÃO
    Entre +2ºC e +8ºC. Não congelar..

  • Influenza inativada tetravalente (gripe)
  • INDICAÇÃO
    Protege contra infecção pelos quatro tipos de vírus influenza contidos na vacina 9um tipo B a mais do que a trivalente. Indicada para pacientes maiores de 6 meses de idade (vacina Sanofi). A vacina GSK é indicada para maiores de 3 anos de idade.

     
    COMPOSIÇÃO
    Vírus cultivados em ovos embrionados, inativados e fracionados. É produzida anualmente com as cepas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde para o Hemisfério Sul. Contém traços de neomicina, dependendo do fabricante. Eficácia de 70% a 90%.

     
    FABRICANTES
    GlaxoSmithKline / Sanofi Pasteur.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular (preferencialmente) ou subcutânea.

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Apresentação infantil (0,25mL, Sanofi): 6 a 35 meses de idade: no primeiro ano de vacinação devem ser aplicadas duas doses com intervalos de 30 dias entre cada dose. Após primeiro ano de vacinação, somente uma dose por ano. Caso a criança tenha recebido apenas uma dose no primeiro ano, deve receber duas doses no segundo. A apresentação infantil pode ser substituída por metade da dose da apresentação adulto. Apresentação adulto (0,5mL): 6 a 35 meses meia dose, com as recomendações acima. 3 a 8 anos de idade: no primeiro ano de vacinação devem ser aplicadas duas doses com intervalos de 30 dias. Após primeiro ano de vacinação, uma dose por ano. Caso a criança tenha recebido apenas uma dose no primeiro ano, deve receber duas doses no ano atual. Acima de 8 anos uma dose desde o primeiro ano de vacinação.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Dor localizada, vermelhidão e inchaço no local. Podem ocorrer febre baixa e cansaço muscular. É rara a ocorrência de febre alta, já tendo sido registrada convulsão febril com relação temporal à aplicação da vacina.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Anafilaxia e outras alergias “graves” aos componentes da vacina (inclusive ovo); doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

     
    CONSERVAÇÃO
    Entre +2 e +8ºC. Não pode ser congelada..

  • Tríplice Acelular Pediátrica – DTPa e DTPa + IPV
  • INDICAÇÃO
    DTPa: Proteção contra difteria, tétano e coqueluche para menores de sete anos de idade. DTPa-IPV: Vacinação de reforço contra difteria, tétano, coqueluche e poliomielite entre 5 e 13 anos de idade.

     
    COMPOSIÇÃO
    Três (GSK) ou dois antígenos purificados de pertussis (acelular); toxoides tetânico e diftérico inativados; e na DTPa- IPV três sorotipos do vírus da pólio inativados. O adjuvante é o hidróxido de alumínio.

     
    FABRICANTE
    DTPa: GlaxoSmithKline/Sanofi Pasteur. Recomenda-se que as três primeiras doses da vacina sejam do mesmo fabricante. DTPa-IPV: Sanofi Pasteur.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular.

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    DTPa: 2, 4, 6 e 15 meses de vida. Reforço entre 4 e 6 anos de idade. Manter reforço de 10/10 anos com dT (dupla tipo adulto) ou, idealmente, com dTpa (tríplice bacteriana acelular de reforço ou “adulto”). Entre a terceira dose e o primeiro reforço, deve-se respeitar intervalo de 6 meses . DTPa-IPV: Reforço a partir dos 5 anos até os 13 anos. Ideal quando há necessidade de um reforço da vacina tríplice bacteriana e um reforço contra a poliomielite.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Podem ocorrer febre baixa, dor, calor e edema local. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Raramente podem ocorrer irritabilidade, sonolência, convulsões febris (< 4 anos de idade), febre alta e evento hipotônico hiporresponsivo.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Doença febril aguda; história de reação grave após administração anterior de vacinas DTPa ou Poliomielite; encefalopatia por até 7 dias após vacinação com componente pertussis; Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas. Reações com a vacina de células inteiras (inclusive a Penta do serviço público) não contraindicam a vacinação com a vacina acelular, com exceção das reações graves..

  • Meningite Quadrivalente: A,C,W,Y
  • Meningite é o nome que se dá para a inflamação das meninges que são as membranas que recobrem o cérebro e a medula espinhal. A meningite é causada por vários tipos de microorganismos, entre os quais se destacam os vírus, as bactérias e os fungos. Entre as bactérias uma das mais importantes e das mais freqüentes é a Neisséria meningitides devido à gravidade dos quadros por ela determinados. Além da meningite podemos citar pneumonia, septicemia (infecção generalizada), artrite, etc. Existem vários tipos dessa bactéria sendo os mais importantes os tipos A, B e C sendo que as vacinas existentes são específicas para cada tipo.

    A meningite é transmitida de uma pessoa para outra através da saliva ou secreções respiratórias e após um período de incubação de alguns dias se manifesta com febre , dor de cabeça, vômitos, prostração e as vezes manchas avermelhadas pelo corpo. As crianças pequenas são as mais susceptíveis e nelas os sinais da moléstia podem se manifestar apenas com febre, choro inexplicado, recusa alimentar, abaulamento da fontanela (moleira).

    O índice de mortalidade é alto e quando o paciente se recupera poderá apresentar sequelas graves tais como surdez, cegueira, atraso mental e amputação de membros.

    O importante é fazer a prevenção através do uso de vacinas e que, qualquer pessoa com sinais da doença seja imediatamente examinada por um médico, porque só ele poderá confirmar o diagnóstico da doença e tomar as providências necessárias.

    •  VACINA QUADRIVALENTE CONJUGADA: A, C, W, Y

    INDICAÇÃO
    Proteção proteção contra doença meningocócica, com risco de exposição aos sorogrupos A, C, W e Y, para prevenir doença invasiva. Vacina GSK licenciada a partir de um ano de idade; Novartis a partir dos dois anos.
    COMPOSIÇÃO
    Oligossacarídeos meningocócicos A, C, W e Y conjugados a proteína CRM197 de C.diphtheriae no caso da vacina Novartis ou toxóide tetânico na Vacina GSK. Não contem adjuvantes. Fosfato de potássio diidrogenado; Sacarose; Cloreto de sódio; Fosfato de sódio diidrogenado monoidratado, Fosfato dissódico hidrogenado diidratado.
    FABRICANTE
    Novartis, GSK.
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular.
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO

    Vacina GSK (“Menveo”, Licenciada a partir dos dois meses de idade)
    Crianças < 6 meses
    Três doses intervalo de 2 meses; 1º reforço após 1 ano; 2º reforço aos 5 anos; 3 reforço aos 11 anos.
    Crianças entre 6 meses e 23 meses
    Duas doses intervalo de 2 meses, sendo uma após um ano de idade; 1º reforço 5 anos após; 2º reforço 5 ano após 1º.
    Crianças e adolescentes (após 2 anos)
    Duas doses com intervalo de 5 anos.
    Adultos
    Quando indicado dose única.
    Vacina Pfizer (“Nimenrix”, Licenciada a partir de um ano de idade)
    Crianças (1 a 10 anos).
    Uma dose após um ano, 2ª dose 5 anos após; 3ª dose 5 anos após 2ª.
    Adolescentes não anteriormente vacinados:
    Duas doses intervalo de 5 anos.
    Adultos
    Quando indicado dose única.
    EVENTOS ADVERSOS
    Pode ocorrer eritema, dor local, prurido, mal estar e febre.
    CONTRAINDICAÇÕES
    Hipersensibilidade a qualquer componente da vacina, incluindo toxóide diftérico, doença febril aguda, gravidez. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

  • HPV – Vacina Bivalente
  • Influenza inativada trivalente (gripe)
  • INDICAÇÃO 

    Protege contra infecção pelos tipos de vírus influenza contidos na vacina. Indicada prioritariamente para adultos maiores de 50 anos; crianças maiores de 6 meses e menores de 5 anos de idade; pessoas de 2 a 50 anos de idade que tenham contato com idosos ou portadores de doenças cardíacas, pulmonares, diabetes, disfunção renal, hemoglobinopatias ou imunossupressão; trabalhadores da saúde; grávidas de qualquer idade gestacional e puéperas; indivíduos que queiram diminuir o risco de influenza (alguns países a indicam para toda a população); viajantes para áreas de alta incidência. Intradérmica (Sanofi Pasteur, IDFLU): Vacina Trivalente. Indicada a partir de 18 anos de idade (de 18 a 59 anos e 11 meses).

     

    COMPOSIÇÃO
    Vírus cultivados em ovos embrionados, inativados e fracionados. É produzida anualmente com as cepas dos vírus recomendadas pela Organização Mundial de Saúde para o Hemisfério Sul. Contém traços de neomicina, dependendo
    do fabricante. Eficácia de 70% a 90%.

     
    FABRICANTES
    GlaxoSmithKline / Sanofi Pasteur/CSL / Solvay / Cristália / Novartis.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular (preferencialmente) ou subcutânea. Intradérmica (apenas a vacina IDFLU®).

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Apresentação infantil (0,25mL): 6 a 35 meses de idade: no primeiro ano de vacinação devem ser aplicadas duas doses com intervalos de 30 dias entre cada dose. Após primeiro ano de vacinação, somente uma dose por ano. Caso a criança tenha recebido apenas uma dose no primeiro ano, deve receber duas doses no segundo. A apresentação infantil pode ser substituída por metade da dose da apresentação adulto. Apresentação adulto (0,5mL): 6 a 35 meses meia dose, com as recomendações acima. 3 a 8 anos de idade: no primeiro ano de vacinação devem ser aplicadas duas doses com intervalos de 30 dias. Após primeiro ano de vacinação, uma dose por ano. Caso a criança tenha recebido apenas uma dose no primeiro ano, deve receber duas doses no ano atual. Intradérmica: seringa preenchida contendo 0,1ml. Esquema de aplicação: Dose única anual, entre 18 e 59 anos.

     

    EVENTOS ADVERSOS
    Dor localizada, vermelhidão e inchaço no local. Podem ocorrer febre baixa e cansaço muscular. É rara a ocorrência de febre alta, já tendo sido registrada convulsão febril com relação temporal à aplicação da vacina.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Anafilaxia e outras alergias “graves” aos componentes da vacina (inclusive ovo); doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

     

    CONSERVAÇÃO
    Entre +2 e +8ºC. Não pode ser congelada..

  • BCG
  • INDICAÇÃO

    BCG é a vacina para a prevenção das formas graves da tuberculose,  principalmente nos primeiros cinco anos de vida.

     

    COMPOSIÇÃO:

    Bacilos atenuados do Mycobacterium bovis; glutamato de sódio.

     

    FABRICANTE:

    Fundação Ataulpho de Paiva

     

    VIA DE ADMINISTRAÇÃO:

    Intradérmica, no braço direito, na inserção do músculo deltoide.

     

    ESQUEMA DE APLICAÇÃO:

    A partir do nascimento, em dose única. O Ministério da Saúde do Brasil não recomenda vacinação acima de 5 anos de idade. Não se aplica segunda dose, salvo em contatos de hanseníase. Menor de cinco anos de idade que recebeu BCG há mais de 6 meses e não tem cicatriz vacinal deve ser revacinado. Evolução da cicatriz vacinal: 2 semanas, pequena elevação avermelhada e dolorosa de 5 a 15mm; 3-4 semanas, pequena bolha com pus, evoluindo à crosta; 4-5 semanas, úlcera de 4 a 10mm de diâmetro; 6-12 semanas, cicatriz de 4 a 7mm.

     

    REAÇÕES

    A reação local à vacina intradérmica é a formação de uma pápula no local de injeção, que progride em tamanho até seis semanas após a inoculação. Uma pequena crosta pode se formar sobre a lesão, que de tempos em tempos pode se desprender, formando uma pequena úlcera, de onde pode drenar uma secreção purulenta, às vezes em grande quantidade. Esta úlcera deve cicatrizar ao redor da décima semana, restando uma cicatriz circular.

     

    É aplicada uma dose na criança a partir do nascimento o mais precocemente possível, de preferência no berçário.

     .

  • Hepatite A
  • INDICAÇÃO
    Proteção contra Hepatite A. Vacina combinada Hepatite A e B também está disponível

     

    COMPOSIÇÃO

    Vírus cultivados em células diplóides humanas e inativados em formaldeído. Contém alumínio. Eficácia de 95% a 100%. Fabricantes GSK/Sanofi Pasteur/MSD

     

    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular.

     

    ESQUEMA DE VACINAÇÃO
    Vacina hepatite A GlaxoSmithKline e MSD – Apresentação infantil: 0,5mL de suspensão. De 1 a 18 anos de idade: duas doses com intervalos de 6 meses. Apresentação adulta: 1,0mL de suspensão. A partir 19 anos de idade: duas doses com intervalos de 6 meses. Vacina hepatite A Sanofi Pasteur – Apresentação infantil: 0,5mL de suspensão. 1 a 15 anos de idade: duas doses com intervalos de 6 meses. Apresentação adulta: 0,5mL de suspensão. A partir 15 anos de idade: duas doses com intervalos de 6 meses. Contem neomicina. Obs.: a intercambialidade entre os fabricantes é permitida.
    O PNI faz dose única aos 12 meses, até 23 meses e 29 dias de idade.

     

    EVENTOS ADVERSOS
    Foram associados, temporalmente, mal estar, vômitos, náuseas, perda de apetite, neuropatia e eritema multiforme. Febre, dor, vermelhidão e inchaço local, podem ocorrer. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

     

    CONTRAINDICAÇÕES
    Anafilaxia aos componentes da vacina; doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

  • Hepatite B
  • INDICAÇÃO
    Proteção contra hepatite B e, consequentemente, hepatite D. Vacina combinada contra hepatites A e B também está disponível.

     

    COMPOSIÇÃO
    Vacina consiste de subunidades do vírus da hepatite B (HBsAg) produzidas em células de fungo (S. cerevisiae) por recombinação genética. Contém alumínio. Eficácia aproximada de 95%.

     

    FABRICANTES
    GlaxoSmithKline / MSD

     

    VIA DE ADMINSITRAÇÃO
    Intramuscular.

     

    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Três doses (0, 30 e 180 dias). A 1ª dose deve ser aplicada no recém-nascido nas primeiras 12 horas de vida. Na criança, a última dose não deve ser aplicada antes dos 6 meses de vida. Apresentação
    Infantil: 0,5mL de suspensão, de 0 a 19 anos de idade. Adulto: 1,0mL de suspensão, a partir de 20 anos de idade. Esquemas em atrasos Devem-se avaliar as datas das doses anteriores e observar intervalos mínimos entre as doses: – Entre 1ª e 2ª dose: 30 dias/ 1mês – Entre 1ª e 3ª dose: 180 dias/ 6 meses. Se já passaram 6 meses entre a 1ª e 2ª dose, o intervalo entre 2ª e 3ª dose será de 60 dias/ 2 meses. Para pacientes renais crônicos e imunocomprometidos aplicar esquema de 4 doses (0, 1, 2, 6 meses) com dosagem dobrada para a idade. Intercambiabilidade entre fabricantes das vacinas para Hepatite B é permitida. Caso a primeira dose tenha sido aplicada em menores de 2Kg de peso (no primeiro mês de vida), aplica-se obrigatoriamente uma quarta dose.

     

    OBSERVAÇÃO
    A dosagem de anti-HBs (> 10mUI/mL) permite avaliação da imunidade e deve ser realizada 30 a 60 dias após a terceira dose. Dosagens posteriores podem resultar falso-negativas.

     

    EVENTOS ADVERSOS
    Dor, vermelhidão, formação de nódulo e inchaço local. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Fadiga, febre baixa, náuseas e cefaleia podem ocorrer, mas em geral trata-se de coincidência temporal.

     

    CONTRAINDICAÇÕES
    Alergia grave ao S. cerevisiae ou ao alumínio; doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

  • Herpes-Zóster
  • O QUE É

    O herpes-zóster, popularmente conhecido como cobreiro, é causado
    pelo mesmo vírus da catapora. Após desenvolver catapora, o que
    normalmente acontece na infância, o vírus permanece adormecido no sistema nervoso ao longo da medula espinhal do indivíduo.

    Quando há queda da imunidade, pode ocorrer a reativação do vírus e o desenvolvimento de herpes-zóster. ¹,²

     

    SINTOMAS:

    O principal sintoma em adultos é a dor intensa na extensão do nervo da medula espinhal até a pele, que pode permanecer mesmo após a cura das lesões da pele. É a chamada neuralgia pós herpética.
    Na maioria das vezes, essa neuralgia se resolve nos primeiros 3 meses, mas em alguns casos pode persistir por anos.

     

    INDICAÇÃO
    Proteção do herpes-zoster e suas complicações em maiores de 50 anos de idade.

     

    COMPOSIÇÃO

    Vacina de vírus vivos atenuados, Cepa OKA/Merck, 19400 UFP. Contém traços de neomicina.

     

    EFICÁCIA

    Varia com a idade; média de cerca de 60%. Ainda mais eficaz contra complicações, especialmente neuralgia pós-herpética.

     

    FABRICANTE
    MSD.

     

    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Subcutânea

     

    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Aplicada a partir de 50 anos de idade, em dose única.

     

    EVENTOS ADVERSOS 

    Podem ocorrer dor, vermelhidão e inchaço no local da aplicação. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Após 5 a 7 dias, podem ocorrer: febre baixa, por 2 a 3 dias, e manchas vermelhas. Pouco comumente os vacinados podem apresentar algumas vesículas, principalmente próximas ao local de aplicação.

     

    CONTRAINDICAÇÕES
    Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoide por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe técnica), quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer vacina. Caso não sejam aplicadas no mesmo dia, intervalar 30 dias da vacina febre amarela e tríplice viral.  No caso do paciente já ter tido herpes-zoster aguardar um ano para aplicação (seis meses se recomendação médica).

     

    Clique aqui e baixe o informativo sobre a doença: Folheto Paciente Zoster

     

    Mais informações: www.entendaozoster.com.br

     .

  • Tetra Viral
    • Vacina contra o Sarampo, Caxumba, Rubéola, Varicela(Catapora)

    INDICAÇÃO
    Proteção contra rubéola, sarampo, caxumba e varicela. De 12 meses de idade até 12 anos (não usar após 13 anos completos).

     
    COMPOSIÇÃO
    Cepas de vírus atenuados da rubéola, sarampo, caxumba e varicela. Contem traços de neomicina.

     
    EFICÁCIA
    95% para sarampo e rubéola e inferior para a caxumba; para a varicela de 85%, para todas as formas, e de 95%, para formas graves, com uma dose.

     
    FABRICANTE
    GlaxoSmithKline.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Subcutânea

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Aplicada a partir de 12 meses de idade. Recomenda-se uma 2ª dose da vacina varicela após com intervalo mínimo 3 meses entre as doses. Nas crianças em que for aplicada a 1ª dose com mais de 2 anos de idade a segunda dose deve ser administrada 3 meses após a 1ª dose. Até 5 dias após contato com portador do vírus da varicela a vacina pode evitar a doença ou, mais provavelmente, torná-la mais benigna. O mesmo acontece com contato com sarampo, até 3 dias.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Causa mais febre do que as vacinas isoladas, consequente elevando o risco de convulsão febril quando primeira dose. Em geral, entre 3 e 12 dias após a vacinação, podem ocorrer dor e edema local, febre, manchas vermelhas no corpo, edema, vermelhidão e calor nas articulações. Raramente: encefalite, pancreatite, orquite, púrpura e parotidite. Cerca de 3% dos vacinados podem apresentar algumas vesículas, principalmente próximas ao local da aplicação.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Anafilaxia aos componentes da vacina (inclusive neomicina e gelatina); gestação; imunodeprimidos; uso de corticosteroides por vias oral ou parenteral por mais de duas semanas em doses correspondentes a 2 mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona; doenças febris agudas; pessoas submetidas a tratamento com derivados de sangue (consultar equipe técnica); quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Após transplante de medula óssea deve-se aguardar 2 anos para aplicação de vacina. Deve-se evitar gestação por 30 dias e uso de acido acetilsalicílico (AAS) por 6 semanas após vacinação. História clinica de sarampo, caxumba ou rubéola não é contraindicação a vacina. A vacinação no mesmo dia com a vacina febre amarela deve ser evitada, intervalando-se 30 dias de uma vacinação para outra. Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer outra vacina.

     

    No SUS é utilizada em dose única aos 15 meses.

  • Rotavírus Pentavalente
  • VACINA PENTAVALENTE CONTRA O ROTAVÍRUS – G1, G2, G3, G4 e P1A

     

    INDICAÇÃO
    Indicada para prevenção de formas graves de diarréia causadas por rotavírus em lactentes (ver limites de idade).

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Oral, vagarosamente.

     
    FABRICANTE
    MSD.

     
    COMPOSIÇÃO
    Vacina pentavalente de vírus atenuados derivados de cepa bovina com modificação genética expressando G1, G2, G3, G4 e P1A. Contem sacarose, citrato de sódio, fosfato de sódio monobásico monoidratado, hidróxido de sódio, polissorbato 80, meios de cultura e traços de soro fetal bovino.

     
    EFICÁCIA
    Para gastroenterite grave por rotavírus já demonstrada contra os genótipos G1,G2,G3,G4,G9 e P1A, em média de 90%.

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Três doses com intervalo de dois meses (desejável), podendo ser aplicada com no mínimo 30 dias entre as doses.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Foram relatados irritabilidade, perda de apetite, diarréia, vômitos, flatulência, dor abdominal, regurgitação de alimentos, febre branda, e fadiga. Não houve ocorrência de eventos adversos quando comparada a placebo.

     

     

    CONTRAINDICAÇÕES
    Hipersensibilidade conhecida à administração prévia da vacina ou a qualquer componente da vacina. Crianças com doenças intestinais crônicas, incluindo malformação congênita do trato gastrointestinal, e crianças com conhecida imunodeficiência primária ou secundária.

     
    OBSERVAÇÃO
    O ideal é não intercambiar com a vacina rotavírus GSK. Caso isso ocorra, fazer esquema de três doses, sendo duas MSD..

  • Meningocócica C
  • Meningite é o nome que se dá para a inflamação das meninges que são as membranas que recobrem o cérebro e a medula espinhal. A meningite é causada por vários tipos de microorganismos, entre os quais se destacam os vírus, as bactérias e os fungos. Entre as bactérias uma das mais importantes e das mais frequentes é a Neisséria meningitides devido à gravidade dos quadros por ela determinados. Além da meningite podemos citar pneumonia, septicemia (infecção generalizada), artrite, etc. Existem vários tipos dessa bactéria sendo os mais importantes os tipos A, B e C sendo que as vacinas existentes são específicas para cada tipo.

    A meningite é transmitida de uma pessoa para outra através da saliva ou secreções respiratórias e após um período de incubação de alguns dias se manifesta com febre , dor de cabeça, vômitos, prostração e as vezes manchas avermelhadas pelo corpo. As crianças pequenas são as mais susceptíveis e nelas os sinais da moléstia podem se manifestar apenas com febre, choro inexplicado, recusa alimentar, abaulamento da fontanela (moleira).

    O índice de mortalidade é alto e quando o paciente se recupera poderá apresentar sequelas graves tais como surdez, cegueira, atraso mental e amputação de membros.

    O importante é fazer a prevenção através do uso de vacinas e que, qualquer pessoa com sinais da doença seja imediatamente examinada por um médico, porque só ele poderá confirmar o diagnóstico da doença e tomar as providências necessárias.

     

    • VACINA MENINGOCÓCICA CONJUGADA C:

     

    INDICAÇÃO
    Proteção para crianças acima de 2 meses de idade, adolescentes e adultos contra o meningococo do sorogrupo C.

     
    COMPOSIÇÃO
    Polissacarídeos capsulares do meningococo C conjugados à toxina diftérica modificada (Pfizer e Novartis) ou ao toxoide tetânico (Baxter) . Contém Alumínio.

     
    EFICÁCIA
    Aproxima-se de 92%.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular no vasto lateral da coxa.

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Vacina indicada de rotina em duas doses a partir dos 2 meses de idade (geralmente feita aos 3 e 5 meses de idade). Reforço após um ano de idade (ideal com Quadrivalente). Intervalo mínimo de um mês para as primeiras duas doses e de dois meses para o reforço. Vacinação iniciada entre 10 e 11 meses, duas doses sem reforço. Maiores de 12 meses de idade: uma dose (ideal Quadrivalente). Atualmente recomenda-se nova dose cerca de cinco anos após esses esquemas, inclusive para adolescentes. Para adultos ainda não há recomendação de reforço.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Podem ocorrer eritema e dor local, febre, irritabilidade. Diarreia, vômitos e anorexia foram associados temporalmente, mas sem comprovação de causa e efeito. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Reação alérgica intensa a dose anterior da vacina; doença febril aguda; gravidez (dependendo da situação epidemiológica pode ser indicada por médico). Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

  • Hexavalente e Pentavalente
  • HPV – Vacina Quadrivalente
  • A DOENÇA:

    O HPV, Papilomavírus humano, é um vírus que acomete a pele e as mucosas oral, anal ou genital ( vulva, vagina, colo de útero, pênis ) e se manifesta sob a forma de verrugas ou de lesões planas que não são perceptíveis ao olho nu.

    Trata-se de uma infecção adquirida através de contato sexual ou através do canal do parto em recém-nascidos de mães acometidas.

    Existem vários tipos de papilomavírus humanos sendo que alguns deles podem provocar câncer de colo do útero e outros provocar verrugas genitais, anais ou orais vulgarmente conhecidas como “crista de galo”.

    O diagnóstico é feito através do exame de Papanicolau ou colposcopia e o diagnóstico de certeza é feito através de biópsia da área suspeita.
    Existem também exames que identificam o tipo do vírus e se os mesmos são cancerígenos.

    O tratamento do HPV é por destruição química ou física das lesões, sempre indicado e realizado por médico especialista

     

    Vacina Quadrivalente contra o Papilomavírus Humano:

     

    INDICAÇÃO
    Indicada para mulheres entre 9 e 45 e homens entre 9 e 26 anos de idade. No caso de mulheres e homens de idade maior acata-se e retém-se a prescrição médica. Oferece proteção contra cânceres do colo do útero, vulva, vagina e ânus causados pelos tipos 16 e 18 do HPV. Protege de verrugas anogenitais causadas por tipos 6 e 11 (90%). Proteção cruzada para outros HPVs.

     

    COMPOSIÇÃO
    Subunidades dos tipos de HPV 6, 11, 16 e 18, produzidas em culturas de S. cerevisiae, por recombinação genética. Contém adjuvante hidroxidofosfato de alumínio. Proteção em torno de 100% para os tipos contidos na vacina.

     

    FABRICANTE
    MSD.
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular profunda na região do deltoide.
    ESQUEMA VACINAL
    Três doses (0, 60, 180 dias).

    No SUS utiliza-se o esquema 0, 6 meses e cinco anos.

     

    EVENTOS ADVERSOS
    Dor, vermelhidão e inchaço no local de aplicação. Foram associados, temporalmente, febre, desmaio e vômitos. Como em toda vacina, há possibilidades de reações alérgicas imediatas mais graves, mas o risco conhecido é pequeno. Vacina de reatogenicidade comparável com a vacina contra a hepatite B.
    CONTRAINDICAÇÕES
    Menores de 9 anos de idade. Pessoas que tenham apresentado reação grave com dose anterior desta vacina. Gestantes. Doença febril aguda.
    OBSERVAÇÕES
    Pode ser aplicada no mesmo dia com outras vacinas. A vacina não possui efeito terapêutico.

     

    • IMPORTANTE: A VACINAÇÃO NÃO DIMINUI A NECESSIDADE DOS EXAMES GINECOLÓGICOS PERIÓDICOS (PAPANICOLAU/CITOLOGIA).

    .

  • Hepatites (Combinada A+B)
  • INDICAÇÃO
    Proteção contra hepatites A e B, prevenindo consequentemente a hepatite D.

     
    COMPOSIÇÃO
    Vírus da hepatite A cultivados em células diploides humanas, inativados em formaldeído e combinados ao HBsAg produzido por células de leveduras. Contém alumínio e neomicina. Eficácia superior a 95%.

     
    FABRICANTE
    GlaxoSmithKline.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular. Não aplicar na região glútea.

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    1,0mL de suspensão contém 20mcg de HBsAg e 720 U.EL VHA. – 1 a 15 anos de idade: 2 doses (0 e 6 meses) – A partir 16 anos de idade: 3 doses (0, 1, 6 meses) – Para viajantes pode-se fazer o esquema 0, 7 e 21 dias. Fazer 4ª dose 6 meses após.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Foram associados, temporalmente, mal estar, vômitos, náuseas, perda do apetite, neuropatia e eritema multiforme. Febre, dor, vermelhidão e inchaço local podem ocorrer. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Alergia grave aos componentes da vacina; doenças febris agudas. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer.

  • Febre Tifóide
  • INDICAÇÃO
    Proteção contra febre tifóide para viajantes a áreas de risco e algumas atividades profissionais.

     

    COMPOSIÇÃO

    Composição Polissacarídeo capsular Vi purificado de Salmonella typhi (cepa Ty2), fenol, cloreto de sódio, fosfato dissódico diidratado, fosfato monossódico e água para injeção

     

    FABRICANTE

    Sanofi Pasteur

     

    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular. Utilizar via subcutânea para portadores de distúrbios da coagulação.

     
    ESQUEMA DE VACINAÇÃO
    Aplicada a partir de 2 anos de idade em dose única. Pode ser feita revacinação após 3 anos, se a indicação persistir.

     

    EVENTOS ADVERSOS

    Principalmente locais (dor, edema, hiperemia). Eventos sistêmicos e alérgicos são raros. Contraindicações Menores de 2 anos de idade. Reação alérgica grave anterior com algum componente da vacina.

  • Febre Amarela
  • INDICAÇÃO


    Proteção contra febre amarela para residentes em áreas de risco (inclui Minas Gerais) e viajantes. A partir de 6 meses de idade, 9 meses fora de epidemias.

     

    COMPOSIÇÃO


    Vacina de vírus vivo atenuado Cepa 17D-204. Imunogenicidade superior a 95%. A proteção se inicia de sete a dez dias após a vacinação.

     

    FABRICANTE
    Sanofi Pasteur

     

    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Subcutânea.

     

    ESQUEMA DE VACINAÇÃO
    Aplicada a partir de 9 meses de idade em períodos não epidêmicos, embora seja mais imunogênica a partir de um ano de idade. O PNI recomenda 2ª dose a partir dos quatro anos de idade se a primeira dose foi feita antes dos cinco anos de idade. Caso a primeira dose seja feita após os cinco anos a segunda é indicada 10 anos após. Todo paciente com duas ou mais dose deve ser considerado vacinado. Não é mais recomendada vacinação de 10 em 10 anos.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Cerca de 5% dos vacinados apresentam quadro de febre e dor no corpo, geralmente iniciando-se no quarto dia após a vacinação. Reações fatais já ocorreram, simulando a doença. Encefalite pelo vírus vacinal é rara após 1 ano de idade.

     

    CONTRAINDICAÇÕES

    Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoides oral ou parenteral por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe médica); quimioterapia e radioterapia nos últimos três meses; alergia grave a ovo; doenças autoimunes (consultar equipe médica), doenças do timo; mulheres amamentando crianças menores de seis meses de idade. Dependendo da situação epidemiológica, é aplicada em gestantes e HIV positivos sem imunodeficiência, com autorização das autoridades de vigilância epidemiológica..

  • Varicela ou Catapora
  • INDICAÇÃO
    Protege contra a “catapora” (causada pelo vírus da varicela-zoster).

     
    COMPOSIÇÃO
    Vacina de vírus vivos atenuados, Cepa OKA. Contém traços de neomicina, kanamicina ou eritromicina, dependendo do fabricante.

     
    EFICÁCIA
    82% a 95% com uma dose.

     
    FABRICANTES
    GlaxoSmithKline/ MSD /SanofiPasteur.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Subcutânea

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Aplicada a partir de 12 meses de idade. Recomenda-se uma 2ª dose após intervalo mínimo 3 meses entre as doses. Em crianças de 9 a 12 meses de idade pode ser aplicada sob orientação médica. Nesse caso, as duas doses preconizadas após um ano de idade devem ser aplicadas como descrito acima. Nas crianças em que for aplicada a 1ª dose com mais de 2 anos de idade a segunda dose deve ser administrada 3 meses após a 1ª dose. A partir de 13 anos de idade são aplicadas duas doses com intervalo mínimo de um mês. Até 5 dias após contato com portador do vírus a vacina pode evitar a doença ou, mais provavelmente, torna-la mais benigna.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Dor, vermelhidão e inchaço no local são raros. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Após 5 a 7 dias, podem ocorrer: febre baixa, por 2 a 3 dias, e manchas vermelhas (2% dos casos). Cerca de 3% dos vacinados podem apresentar algumas vesículas, principalmente próximas ao local de aplicação.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoide por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe técnica), quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Deve-se evitar gestação por 30 dias e uso de ácido acetilsalicílico (AAS) por 6 semanas após a vacinação. Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer vacina. Caso não sejam aplicadas no mesmo dia, intervalar 30 dias da vacina febre amarela e tríplice viral. Se o médico prescrever com intervalo maior que 15 dias, acatar. Intervalo inferior a 15 dias, não fazer ou consultar equipe médica em caso de uso pós-contato..

  • Tríplice Viral – Sarampo, Caxumba e Rubéola
  • SARAMPO – CAXUMBA – RUBÉOLA

    INDICAÇÃO
    Proteção contra rubéola, sarampo e caxumba em qualquer idade.

     
    COMPOSIÇÃO
    Cepas de vírus atenuados da rubéola, sarampo e caxumba. Contém traços de neomicina e gelatina.

     
    EFICÁCIA
    Cerca de 95% para sarampo e rubéola e inferior para a caxumba.

     
    FABRICANTES
    GlaxoSmithKline e MSD.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Subcutânea.

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Aplicada a partir de 12 meses de idade; uma segunda dose deve ser aplicada aos 15 meses de idade. Intervalo mínimo de um mês. Adultos, em viagem para o exterior, sem registro de vacinação, devem ser vacinados.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Em geral, entre 3 e 12 dias após a vacinação, podem ocorrer dor e edema locais, febre, manchas vermelhas, edema, vermelhidão e calor nas articulações. Raramente: encefalite, pancreatite, orquite, púrpura e parotidite.

     

    CONTRAINDICAÇÕES
    Anafilaxia aos componentes da vacina (inclusive neomicina e gelatina); gestação; imunodeprimidos; uso de corticosteroides por via oral ou parenteral, por mais de duas semanas em doses correspondentes a 2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona; doenças febris agudas; pessoas submetidas a tratamento com derivados do sangue (consultar equipe técnica), quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Após transplante de medula óssea deve-se aguardar de 1 a 2 anos para aplicação da vacina. É recomendado evitar-se gestação por 30 dias após a aplicação. História clínica de sarampo, caxumba ou rubéola não é contraindicação à vacina. A vacinação no mesmo dia com a vacina contra a febre amarela deve ser evitada em crianças, intervalando no mínimo 30 dias. Se não for aplicada no mesmo dia que a vacina contra Varicela, deve se respeitar 30 dias de intervalo entre as mesmas (com recomendação médica se aceita o intervalo de 15 dias). Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer outra vacina.

  • Pneumocócica 23
  • INDICAÇÃO

    Proteção contra infecções invasivas pelo pneumococo para maiores de 2 anos de idade com comorbidade. Para menores de 2 anos de idade, vide Vacina Conjugada Pneumocócica.

     

    COMPOSIÇÃO
    Polissacarídeos purificados, não conjugados, de 23 sorotipos de pneumococos. Contém fenol e timerosal. Não contém adjuvante.

     
    EFICÁCIA
    60% a 77%.

     
    FABRICANTES
    Sanofi Pasteur e MSD.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Subcutânea ou intramuscular (ideal). Dose: 0,5 ml.

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Dose única em maiores de 2 anos de idade. Aplicar uma segunda dose, 5 anos após a primeira. Caso o maior de 60 anos tenha feito as duas doses quando adulto admite-se uma terceira dose. Para crianças e adultos menores de 60 anos sadios sempre solicitar prescrição médica. Em caso de esplenectomia programada, deve ser aplicada duas semanas antes da cirurgia. Nunca se aplica nova dose com intervalo inferior a três anos. Entre a Pneumo 13 conjugada a 23 polissacarídica, respeitar intervalo de dois meses. Entre a Pneumo 23 polissacarídica e a 13 conjugada, respeitar intervalo de um ano.

     

    Indicação
    Adultos com idade maior ou igual a 60 anos; pessoas entre 2 e 60 anos portadoras de doenças crônicas (cardiopatas, DPOC, hepatopatias, diabéticos); etilistas; portadores de fístulas liquóricas; esplenectomizados; asplenia funcional; hemoglobinopatias; HIV positivos; síndrome nefrótica; leucemias; linfomas; neoplasias malignas; e imunodepressão, incluindo usuários de corticoides.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Calor, inchaço, eritema e dor local, febre e mialgia. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Efeitos adversos locais são mais comuns e intensos na revacinação.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Anafilaxia à dose anterior ou ao timerosal; menores de 2 anos de idade; intervalo menor que três anos da dose anterior (exceto transplantados de medula óssea); doença febril; gravidez. Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

  • Pneumocócica 13
  • INDICAÇÃO
    Crianças e adolescentes a partir de 2 meses de idade até 17 anos de idade; para proteção contra formas graves da infecção pneumocócica. Pacientes especiais acima desta idade. Em adultos sadios maiores do que 50 anos. Pacientes especiais entre 18 e 50 anos (apenas com retenção da prescrição médica).

     
    COMPOSIÇÃO
    Polissacarídeos dos sorotipos 1, 3, 4, 5, 6A , 6B, 7, 9V, 14, 18C, 19A 19F,23F; conjugados ao CRM197 (proteína diftérica). Contem látex e alumínio. Eficácia de 92% a 99% para os tipos incluídos na vacina.

     
    FABRICANTE
    Pfizer

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO

    De acordo com a idade de início de vacinação

    • Início de vacinação abaixo de 7 meses: 4 doses, as 3 primeiras doses com intervalo de 2 meses (mínimo 1 mês) e a última dose na idade de 15 meses (pode ser aplicada a partir de 12 meses, desde que tenha 2 meses de intervalo da última dose).
    • Início de vacinação entre 7 e 11 meses de idade: 03 doses, as duas primeiras com intervalo de 02 meses e a última na idade de 15 meses (pode ser aplicada a partir de 12 meses, desde que tenha 02 meses de intervalo da última dose).
    • Início de vacinação de 12 a 23 meses de idade: 02 doses com intervalo de 02 meses.
    • Início de vacinação acima de 24 meses: dose única.

    OBS: Crianças previamente vacinadas com outras vacinas conjugadas (Prevenar 7 ou Pneumocócica 10- valente), devem receber uma dose suplementar de Pneumo 13-valente até os 6 anos de idade.

    • Crianças que iniciaram esquema com Prevenar 7 /Pneumo 10-valente podem continuar o esquema com a Pneumo 13-valente.
    • Adultos sadios maiores de 50 anos de idade.

    Uma dose de Pneumo 13 e uma de Pneumo 23 dois meses após. Segunda dose Pneumo 23 cinco anos após. Entre a Pneumo 13 conjugada e a 23 polissacarídica, respeitar intervalo de dois meses. Entre a Pneumo 23 polissacarídica e a 13 conjugada, respeitar intervalo de um ano. A ACIP recomenda uma dose acima de 65 anos se as duas foram aplicadas antes dessa idade.

     

    EVENTOS ADVERSOS
    Pode ocorrer febre, calor e inchaço no local da aplicação. Teoricamente, pode estar associada à convulsão febril. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

     
    CONTRAINDICAÇÃO
    Anafilaxia aos componentes da vacina (inclusive ao látex e proteína diftérica); doença febril aguda. Pode ser aplicada
    simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas..

  • Tríplice Acelular Adulto – dTpa e dTpa + IPV
  • DIFTERIA, TÉTANO, COQUELUCHE ACELULAR E POLIOMELITE.

    Também conhecida como tríplice bacteriana apresenta associação dos toxoides tetânico e diftérico e de células mortas e inteiras de Bordetella pertussis. Esta vacina está entre as melhores no que se refere à proteção.

     

    INDICAÇÃO.
    Utilizadas para reforço a partir dos quatro anos de idade. Podem ser utilizadas para reforços em caso de ferimentos. Em caso de vacinação primária, apenas como uma das doses do esquema. Recomendada na gestação, após as 20 semanas de gestação, idealmente entre 28 e 36 semanas, também sempre em dose única. No Reino Unido a vacina aplicada em gestantes é a dTpaIPV, no Brasil a dTpa.

     
    FABRICANTES
    GlaxoSmithKline/Sanofi Pasteur.

     
    VIA DE ADMINISTRAÇÃO
    Intramuscular.

     
    ESQUEMA DE APLICAÇÃO
    Sempre dose única, seja como reforço ou fazendo parte de esquema primário.

     
    EVENTOS ADVERSOS
    Podem ocorrer febre baixa, dor, calor e edema local. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Raramente podem ocorrer irritabilidade, sonolência, e febre alta.

     
    CONTRAINDICAÇÕES
    Doença febril aguda; história de reação grave após administração anterior de vacinas DTPa ou Poliomielite; encefalopatia por até 7 dias após vacinação com componente pertussis; Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas. Reações com a vacina de células inteiras (inclusive a Penta do serviço público) não contraindicam a vacinação com a vacina acelular, com exceção das reações alérgicas graves..